Apresentação

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Cicloviagem São Leopoldo/Riozinho


E finalmente chegou  a tão esperada e planejada cicloviagem.
Sexta-feira (31/10) cheia de coisas para fazer, últimos detalhes para ajeitar, o dia passou bem rápido... 
No final da tarde o Matheus trouxe a bike dele, e a missão era trocar a câmara da frente, que estava furada, fazendo com que o pneu esvaziasse beeem devagar. Vitor é o mecânico oficial da galera, trocou e eu nem vi. Show de bola, hora de concluir os últimos compromissos sociais antes de relaxar para pegar a estrada no amanhecer.
Chegamos em casa por volta da meia noite, passando pela garagem para namorar as bikes já equipadas me deparo com o pneu do Matheus vaziozinho, pouts!
Já não bastava o cansaço de uma sexta-feira agitada, lá vamos nós detectar o furo, remendar e recolocar tudo no lugar... Ok, 1:30 da manhã, hora de descaçar porque às 4:30 precisamos estar em pé!

Sinto muito não ter foto do momento da saída, estava muiiito escuro e as câmeras e celulares estavam todas guardadas, a ansiedade em sair era maior, pedal na estrada!
Uma hora de pedalada depois, primeira parada meio que fora do planejado... Vitor estava com um problema na bike dele, mais precisamente na caixa de centro, e lá vai o mecânico de novo entrar em ação.
O dia pensava em amanhecer, um pequeno chuvisqueiro no caminho, gostoso pra refrescar.

Primeira parada, RS 239 NH

Vitor e Matheus sendo felizes :P

 As bikes equipadas, muito peso, e por incrível que pareça, só o essencial!

Posso dizer que o caminho é quase uma montanha russa, subidas e descidas, não dava nem para comemorar uma descida que logo estava lá outra subida e o ciclo se repetiu o caminho todo. Já com as pernas cansadas, fizemos nossa primeira parada de verdade em Sapiranga, 30 km já percorridos e mais de 60 ainda por vir...

A RS239 nesse trecho era boa, com um acostamento largo, exceto algumas pontes e viadutos, mas nada que saísse do controle.
E lá vamos nós colocar o pedal na estrada mais uma vez, mais 30 km percorridos, dessa vez a parada foi no pórtico de Rolante, 60 km de pedal.
Muita dor, muito cansaço, muita banana e muita vontade de chegar...
Esse trecho foi um pouco mais tenso, subidas de quilômetrosssss e estrada sem nenhum acostamento e muito movimento. 
  
Parada no pórtico de rolante.

A propósito, estou apaixonada por essa cidade. Cidade pequena (muito pequena) e com aquele ar que só cidade do interior sabe ter, tudo lindo, limpo, uma delícia.

Igreja de Rolante-RS

Rua coberta, em frente a praça de Rolante-RS


Aqui  confesso, eu já estava esgotada, a única coisa que me fazia pedalar era a obrigação de chegar e saber que não existia outro jeito.

 83 km de pedal depois, chegamos em uma estrada de chão, que é o caminho que nos leva para o Camping e a cascata do chuvisqueiro, sem dúvidas o pior trecho da viagem (e o mais bonito também). Nessa altura eu já estava me xingando pela "maldita" ideia de fazer a viagem, já enxergava tudo embaçado e já não conseguia mais raciocinar direito. A fome não tinha mais banana, biscoito e chocolate que matasse... 

Cansaço e felicidade nos definem nesse momento.

 Foi aí que encontramos essa barragem linda, e essa pontezinha incrível que nos faz acreditar que estamos quase chegando!





Nem sei dizer o quanto mais pedalamos, e nem preciso dizer quantas toneladas pesavam cada perna e o quanto nossa bagagem se multiplicou por causa do cansaço, a única coisa que posso dizer é sobre a nossa felicidade ao encontrar o camping, que segundo informações obtidas no caminho era "logo ali" e não chegava nuncaaaaaaa.




Mas enfim chegamos, as bikes já estavam descansando e guardando o lugar das nossas barracas, pouco antes de montarmos acampamento. Não sei explicar, mas a sensação era incrível, o lugar ser lindo fez tudo valer muito mais a pena!


Acampamento montado, Matheus fazia um som pra nós e descansava enquanto Vitor providenciava o fogo para nosso almoço.

Essa foto dispensa legendas.

Depois de um miojo com atum confirmado, um banho pra tirar a nhaca da viagem, foi hora de conhecer a cascata do chuvisqueiro, e só posso descrever ela como: Incrível




Eu sendo feliz e renovando minhas energias com esse lugar sem explicação.

Pela narrativa parece curto, mas acreditem, o tempo foi maravilhoso com a gente, e passou bem devagarzinho deixando a gente aproveitar o pouquinho dele que a gente tinha nesse paraíso.

Hora da janta, adivinhem? Massa com atum! Dessa vez aquecidos na fogueira, que deu o charme pra noite.
(eu comi só atum e confesso, um crepe de chocolate que o dono do camping fazia e era irresistível e delicioso) 



Hora de acordar e levantar acampamento, choveu bastante a noite, acordei dolorida e "acabada", mas o negocio é levantar e aquecer os músculos, porque 95km de pedal nos esperava...
Guardamos tudo e fomos aproveitar para conhecer outra cachoeira, acesso só por trilha, muito legal, outra aventura!






Voltando pro camping, rolou um almoço reforçado de Massa com atum (hahahah) e um brócolis para reforçar. Antes de partir voltamos para a cascata do chuvisqueiro para nos despedir, ou melhor, para dizer "Até logo"!


Eu, Matheus e Vitor

A volta foi "no tranco" as primeiras subidas de estrada de terra foram só empurrando e confesso que já estava planejando parar na Rodoviária de Rolante e pegar o primeiro ônibus que partisse para qualquer cidade vizinha de São Leopoldo. Não me imaginava subindo e descendo tudo aquilo de novo no estado que eu estava! Também não sei explicar como consegui, só sei que foi... Parece forçado dizer isso, talvez até eu quando for ler, daqui uns meses, vá achar forçado e vá pensar "nem foi tanto assim", mas acreditem, foi! heheheh

Uma ótima foto pra simbolizar a volta pra casa, o final da aventura
Aqui ainda chuviscava, antes do sol torrar nossos capacetes.

Ahhh, passei por rolante sem sequer saber onde ficava a rodoviária, ponto pra nós! o/
A Volta foi mais rápida, com muita subida, mas menos paradas, a única coisa que eu pensava enquanto pedalava aquelas subidas a 5km/h era que no final delas haveria uma recompensa, que era a descida novamente, e no final, minha casa e o colchão fofinho, que nunca havia sido tão desejado.




3 comentários:

  1. EU AMO VOCÊS!
    SÉRIO! A cada foto eu me imaginava junto! Quase morri com as fotos da Cachoeira. e digo mais, vou arranjar folgas ou trocar de emprego. HAHAHA Mas ainda irei em uma dessa com vocês!
    Parabéns por terem conseguido!! E façam mais vezes!
    EU TÔ MUUUITO ORGULHOSA DE VOCÊS!! SÉRIO!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Parabéns pelo pedal!! Quanto tempo levaram pra ir e quanto pra voltar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafael, fomos em 9 horas, parando bastante para curtir a vista e tirar foto e voltamos em 7 horas com apenas duas paradas longas de uns 30/40min cada... :D

      Excluir